Casamento duradouro (e real): existe segredo?!

05 maio 2015

{ Etc. e tal... }

Bom, outro dia quando soube de um casamento (mais um) que havia acabado depois de pouquíssimo tempo, achei interessante trazer esse tema para o Blog. Primeiro, que fique bem claro, não sou psicóloga ou profissional do ramo e nem tenho a receita certa (afinal essa receita não existe) para ter um casamento duradouro ou algo do tipo.

Apenas achei que podia ajudar de alguma forma, pois considero que vivo um casamento extremamente feliz, saudável e principalmente: real – no literal sentido da palavra (eu não sei vocês, mas eu não aguento ver em volta o tanto de casamento por aparência que tem por aí – preguiça eterna).

Enfim, como já disse, não existe receita, não existem regras ou mandamentos. O que existe sim é a vontade verdadeira de estar ao lado, de estar junto, de vencer os obstáculos, enfrentar as barreiras e ultrapassar todo e qualquer impecilho. Parece clichê, mas definitivamente não é, pois um casamento que vai longe, é um casamento que mesmo balançado por dificuldades, é consertado, e não simplesmente jogado fora…!

Hoje em dia a impressão que tenho é que “virou moda” fazer festa de casamento ou “juntar as escovas de dentes” pelo simples fato de que “ah, tá todo mundo se casando”. Que erro, gente! O erro aliás começa bem daí, pois nada de se “casar por casar”…! O resultado não vai ser nem um pouco positivo.

O segredo – se é que tenho moral para falar isso, depois de quase sete anos de casada e quase dez anos ao lado do Fábio – para um casamento bem sucedido é pura e simplesmente resolver cada pequeno problema no tempo em que ele se forma. O “velho e bom”: sentar e conversar. Esse “segredo” é o que faz com que os casais resolvam os pequenos embates, que podem virar no futuro grandes batalhas, chegando até mesmo na destruição definitiva de um casamento.

Diferenças todos temos. E podem apostar, são muitas. Mas isso não é ruim, longe de ser. E mais, ninguém aqui vai ter o casamento perfeito, daqueles de propaganda de margarina, porque definitivamente esse casamento não existe.

Agora o que pode e deve existir é o casamento baseado em cumplicidade, companheirismo, amor (claro!), amizade acima de tudo, verdade sempre e em qualquer circunstância e por fim – e não menos importante – o diálogo que é absolutamente fundamental. O casamento baseado em mentiras não chega a canto algum, porque a mentira logo é descoberta e se transforma em discussão e em confusão certa.

Mudar a rotina também é muito importante. Não deixar que o casamento caia na mesmisse. Ou seja, inventar programinhas diferentes, surpreender, inovar, programar viagens e mudar o caminho das coisas vai sempre muito bem…!

O que considero extremamente importante é contar com a admiração do parceiro que temos ao lado, sentir orgulho, vibrar, torcer, estimular e fazer ir em frente, que sem dúvida alguma são reais resultados de um casamento onde um quer de fato a felicidade do outro.

É até engraçado falar isso, mas por exemplo, apenas para que entendam o que quero dizer. A opinião que mais levo em consideração na vida sobre os meus posts aqui no blog, é a do Fábio. E ele não recebe nada por isso (até parece que precisaria, né?! Hehe), mas simplesmente palpita como ninguém, me dá sempre as melhores dicas, faz observações, puxa a orelha quando precisa, dá bronca quando os posts não foram ainda pro ar. E isso me motiva tanto que vocês nem podem imaginar.

Aliás, o Fábio que revisa minhas propostas de trabalho e que prepara os meus contratos profissionais também. Ele de fato mergulha de cabeça nos meus projetos pessoais porque ele se interessa por eles e verdade. Quando ele divulga o meu trabalho, meu coração se enche de tanto orgulho, porque ele fala de mim com tanto amor que me emociono só de ouvir. É sério isso, gente.

Além disso, ele tira os meus medos, me encoraja dos receios mais bobos e me dá ânimo pra tantoooo…!!!!

Enfim, estou dizendo tudo isso para contar à vocês que torcer e vibrar pelo seu parceiro é o que há de mais incrível e vocês nem imaginam o quanto isso é importante.

Liberdade também é bem importante. Ninguém que se casa deve se “sentir preso” a outra pessoa por algum tipo de obrigação. A pessoa deve querer estar ao lado de outra por prazer, por gostar da companhia, por gostar de conversar, dividir, compartilhar, repartir e conviver. Isso que chamo de felicidade real, sabe?! Onde as coisas simplesmente acontecem, porque existe sentimento de verdade para que assim seja.

No mais, o casamento deve te ajudar a anular as suas tristezas e muito além disso, o casal deve compartilhar entre si diariamente as conquistas e alegrias da vida. Por isso, lute (com unhas e dentes) pelo seu casamento. Garanto que quando se tem um grande (e real) parceiro de vida,vale – e muito – à pena!

Uau, me empolguei aqui e falei além da conta, né?! Rsrs. Enfim, espero de alguma forma ter passado algo bem positivo para vocês.

CASAL Casamento duradouro (e real): existe segredo?!

Beijo enorme,

Natacha.

8

8 Comentários

Deixe seu comentário

*